aflição fundamental

Nesta passagem de ano não estive mais ou menos feliz do que em qualquer outra ocasião ou falta dela. Foram apenas 10 segundos contados histericamente pelas televisões e milhões de pessoas em GMT. E quando dia 1 começou estava tudo na mesma. Uns golitos de Murganheira e umas beijocas aos presentes e pronto. Não me senti mais esperançada nem mais apreensiva. Nem sequer estava a usufruir de excesso de álcool no sangue. Não deu para fingir viragens. Para quê esperar pelo fim do ano para as fazer? Não podemos e devemos tomar atitudes no resto do ano?
Todos os dias me instilo de algum terror que cutuque o meu instinto de sobrevivência… esta coisa que me tem feito lutar não pelo fio de prumo da minha vida ou pelo rumo que mais quero, mas mais pelo pavor de me deixar ficar no pior cenário. Acho que o pessimismo me atrasa menos do que me alimenta. Este meu estado de aflição fundamental vai-me dando a ilusão de que ainda há muito a fazer antes de me dar por vencida.
Não vou fazer planos para 2011. Passar incólume e manter a tendência de felicidade é tudo o que preciso.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s