‘tá bem, abelha!

As ironias apelam-me à bipolaridade, porque não lhes resisto à piada mesmo quando me deixam furiosa. Como quando a semana passada a assistência em viagem, que me custa um balúrdio, me mandou ligar para o 112 ou acenar na berma da estrada porque não podem prestar auxílio nas autoestradas Francesas. A senhora ficou ofendida quando eu me desatei a rir ao telefone. Pela primeira vez na vida tive pena de falar tão mal Francês, porque mal consegui exprimir a minha imensa gratidão ao camionista que encostou para ajudar… logo eu, que passo cada viagem de carro a criticar os camionistas. De certeza que se puxar pela cabeça encontro mais uns loops irónicos nesta história…

Há uma ironia, porém, que me deixou apenas perplexa.

Em Portugal, passou-se tudo para a TV digital com pompa, circunstância e confusão. Tivemos que gramar MESES A FIO com o Pedro Granger a explicar às pessoas que têm de comprar um descodificador. O pessoal mais teórico até já andava a dizer que foi tudo para as empresas de TV cabo angariarem mais clientes. Houve altercações com os velhos aldeias e até deu aso a burlas. Gastou-se dinheiro público para assegurar o fornecimento de novelas e reality shows a todos os cantos do país. E afinal não funcionou bem, sequer. Mas o pior foi mesmo o Granger, pá!… E depois disto tudo, quando fizeram a mesma coisa cá na Bélgica, o único – ÚNICO – canal que desapareceu da grelha cá de casa foi, justamente,  RTPi.

Primeiro veio a negação: achei que a culpa era da televisão nova e andei a furiosamente a ler o manual e a ressintonizar os canais todos. Depois veio a ressaca do hábito de ver o Telejornal depois do jantar e aos Domingos à tarde a beber uma bica. Agora até sinto que sou uma pessoa mais feliz sem a náusea provocada pelas obscenidades da pátria mãe em cima da digestão. E, à excepção dos anúncios aos comércios e restaurantes dos portugueses emigrados, a RTPi não transmite nada de jeito. Mas chateia-me. E confunde-me. Já não basta a TAP* nos ter virado as costas, a RTP agora também cagou para o emigrante?

Diz que é “para a grande família portuguesa”… ‘tá bem, abelha!

*Tema de um post muito amargurado a ser publicado em breve.

3 thoughts on “‘tá bem, abelha!

  1. Corujeira só teve direito a tv digital por satélite. Foi engraçado ver velhotes com reformas de 200€ a tentar pagar a instalação… Naquele mês comeram menos, mas andaram mais ligeirinhos e com vontade de ver a Praça da Alegria.

  2. Pingback: Izmailov, Futre e outras amarguras | É isso tudo e mais um par de botas.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s